Mundoutro de endereço novo!

O Mundoutro cresceu e ganhou casa nova. Passem para fazer uma visita!

Relatório da ONU sobre e-government

onu e-governmentA ONU fez uma extensa pesquisa sobre e-government no mundo. Ela investigou questões como disponibilidade de informação, possibilidades de participação e influência no processo de decisão e classificou os países com notas. Vale a pena dar uma olhada no material, que é extenso e pode ser acessado na íntegra aqui. O relatório está todo em inglês, mas algumas informações em português sobre o relatório podem ser vistas aqui.

E-book sobre Mídias Sociais traz artigos sobre política

e-book midias socias artigos políticaA PaperCliQ, juntamente com Danila Dourado, acabou de lançar um e-book com o título “#MídiasSociais: perspectivas, tendências e reflexões“. O livro conta com uma série de temas, entre eles a relação entre mídias sociais e política. São dois artigos, um entitulado “Criação e Manutenção de perfis políticos online: uma experiência prática”, onde sistematizo minha experiência com assessoria política online, e outro de nome “Netizens e Prosumers: novas mídias, cocriação e consumerismos político”. Para os interessados, vale uma lida.

Resultado da Seleção de Artigos para o e-book

Com alguns dias de atraso, apresentamos aqui os artigos selecionados para o e-book sobre Mídias Sociais e Eleições no Brasil, produzido por mim e por Ruan Brito, juntamente com a PaperCliQ. A previsão de lançamento do livro é janeiro de 2011. Aguardem!

Ana Maria Bicca da Silva e Eliane Fronza – A interação e a mobilização no ciberespaço
Andréia da Silva Martins – Politica na internet: os efeitos do Twitter no processo eleitoral de 2010
Claudiana Santos Silva – Midias sociais e a aproximação do eleitor com o candidato
Fernanda Fabian – A campanha virtual pode ser igual para todos os candidatos?
Gabriela Virgens da Fonseca – Campanhas online e cultura política de participação
Luiz Marcos Ferreira Júnior – A relação entre redes sociais na internet e o certame eleitoral no Brasil
Natália de Oliveira Santos,  Anna Paula Castro Alves – Candidatos Virtuais: O oficial e o oficioso no ciberespaço
Patrícia Rossini – Manifestações políticas de eleitores no Twitter
Samantha Hoffmann Shiraishi  – Mídias Sociais, Política e Educação
Sueli Dantas Bacelar – O papel do blogueiro e o engajamento espontâneo nas eleições

Simpósio discute Mídia e Eleições no Brasil e na Alemanha

simposio midia eleiçõesEstá acontecendo ontem e hoje em Salvador o Simpósio Internacional Mídia e Eleições na Alemanha e no Brasil: comparando mass media e new media. Promovido pelo Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Culturas Contemporâneas em conjunto com o Goethe Institut, o evento objetiva discutir temas relacionados às comunicação e política comparativamente nos dois países envolvidos.

Ontem pela manhã aconteceu a palestra de Afonso de Albuquerque, da Universidade Federal Fluminense, que falou sobre “Comunicação de Massa e formação da opinião pública no Brasil”. Em sua exposição, Afonso se propôs a discutir as entrevistas realizadas pelo Jornal Nacional com os presidenciáveis. Sua análise partiu de um apanhado histórico sobre democracia e do papel da imprensa e do jornalista dentro dela.

Afonso levanta a questão de que, no Brasil, o jornalista não assume apenas o papel técnico de produzir notícias e levá-las ao público sem se preocupar com nenhum dos envolvidos nem com as consequências daquilo. Para o pesquisador, o jornalista brasileiro assume o papel de defensor do interesse do público o que lhe concede uma posição diferenciada de mediador.

É sobre esse papel do jornalista como mediador que Afonso busca chamar atenção. Ele argumenta que as pesquisas na área geralmente falam sobre a cobertura dos media, do impacto sobre a opinião pública e dos interesses políticos aliados aos media, mas que se considera os próprios media como espaço vazio. Portanto seria preciso compreender melhor esse processo de mediação e que elementos estão envolvidos nele.

Durante a etapa de perguntas, o professor Wilson Gomes questionou o palestrante se esse papel que o jornalista brasileiro assume não seria fruto de disputas internas do próprio campo para ganho de prestígio e autoridade. Gomes argumenta que o comportamento hostil e superior de jornalistas superstars com os políticos pode ser visto como uma forma de diferenciação dentro do próprio campo social do jornalismo. O palestrante concorda que esses são aspectos a serem levados em conta como parte desse processo de mediação.

O evento continua hoje e a programação completa pode ser vista aqui.

Simpósio: Mídia e Eleições na Alemanha e no Brasil

Veja a programação completa aqui.

Revista recebe artigos de comunicação e política

A revista Animus recebe até o dia 05 de outubro textos para integrar o dossiê de comunicação e política da sua próxima edição. A revista existe desde 2001 e é produzida pelo Programa de pós-graduação em Comunicação da Universidade Federal de Santa Maria. Os textos devem ser enviados para animusrevista@gmail.com e as regras editoriais podem ser vistas aqui.